08/10/2014 às 16h04

Por todos os lados, mas sem vida

O prazer, a sexualidade, entre nós perdeu esta referência. Os encontros eróticos se transformam em uma satisfação pessoal acompanhada de um corpo que não precisa ter desejos, apenas satisfazer o a vontade particular pelo gozo.

Gilson Aguiar - contato@gilsonaguiar.com.br
Sexualidade

Sexualidade

Sexualidade é intensa, mas imatura
Diante de uma sala de aula com jovens com pouco mais de 17 anos há um desafio, refletir sobre a sexualidade. Eles, os jovens que acabaram de sair da adolescência, estão jogados em um ambiente onde o sexo é um apelo. Ele está associado aos produtos, aos serviços, nos locais de trabalho e nos ambientes de lazer. Estamos cercados por sexo por todos os lados. Sabemos falar sobre o tema? 

Em nossa sociedade a pornografia é uma retórica com o mesmo sentido, mudando apenas a plástica. A estética do corpo sedutor leva-nos a crer que há um “pacote” pronto do jogo de sedução. O que nos excita é sempre a mesma coisa, não fazemos a diferença, não nos conhecemos. O corpo sedutor é um padrão que todos buscam. A prática sexual é constante, mas desconhecida em sua importância para gerar a maturidade necessária na busca de conhecer o próprio corpo e fazer alguém feliz.

A geração que antecede os jovens se sente “traída” por uma liberdade que chegou de repente e agora os com mais de 35 querem um espaço neste campo da estética sedutora anuncia. Seduzir é um direito. Está aberta a “temporada de caça”. As noites os corpos desfilam a procura do desejo. E todos assumem seus personagens, tirados dos anúncios midiáticos. A juventude parece ter saído da tela da TV, dos outdoors, das telas dos comutadores. Um jogo programado se criatividade.

Diante disto, é possível entender os indígenas. Os porquês andavam nus. Para eles a sedução não está na estética expressa no corpo, mas na relação que se estabelece com o ser humano. Ir além do que a imagem reflete, mas no que a convivência pode gerar. O prazer, a sexualidade, entre nós perdeu esta referência. Os encontros eróticos se transformam em uma satisfação pessoal acompanhada de um corpo que não precisa ter desejos, apenas satisfazer o a vontade particular pelo gozo.

 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS