31/01/2014 às 08h57
Textos /

Saber o “por que”

Tem-se que ficar mais atento ao que não nos é dado de direito. A atenção deve ser redobrada pelo que não cumprimos dos nossos deveres.

Gilson Aguiar - contato@gilsonaguiar.com.br
Questionar

Questionar

Cidadania
Ter um olhar atento não é obra do acaso, é um exercício que aponta as nossas preocupações. Por isso, enxergamos, às vezes, apenas o que interessa. Deixamos passar denúncias de que nosso dia a dia está comprometido. Um ser humano denuncia muito de si com o que lhe chama a atenção.

Em Maringá há cada vez menos garis nos caminhões de coleta de lixo. Tem alguma coisa errada. Seria o coletor de lixo alguém em extinção? O salário é baixo ou a profissão é degradante ao ponto de ninguém mais se interessar pela atividade? 

Da mesma forma que os garis desaparecem, as árvores também. Elas mínguam em áreas centrais. Em uma reunião ontem, lembraram que andar pela cidade já foi caminhar sob a sombra, hoje é ser derretido com o calor. Tem um banco que reformou a fachada e fez da calçada um piso de concreto, nada nasce nele. Ironia, o tempo, aqui, não faz as árvores crescerem, mas caírem, morrerem. Já foi feita uma pesquisa que as mapeou. No que deu, onde foi parar, não sei. 

Outra pesquisa levantou as necessidades da população maringaense em relação ao transporte coletivo. Nela há demandas importantes a organização da logística urbana. Combater o automóvel, incentivar a bicicleta e estimular o transporte público. Poderia nos dar o caminho para mudanças. Não sei o que foi feito com ela.

Porém, 50% das vagas abertas nos Centros de Educação Infantil, para atender as famílias de baixa renda durante as férias escolares, não foram usadas. A secretária de Educação de Maringá, Solange Lopes, reclamou, e com razão. Vale lembrar que nem sempre o cidadão é inocente.

Tem-se que ficar mais atento ao que não nos é dado de direito. A atenção deve ser redobrada pelo que não cumprimos dos nossos deveres. Obter respostas é fundamental, mas saber quais perguntas fazer é o primeiro passo para exigir mudanças.

 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS