24/01/2014 às 13h33

Assédio Moral piora com o tempo

Violência dentro do ambiente de trabalho tem dois perfis predominante, os temerosos e inseguros. Eles podem estar entre agressores e agredidos.

Gilson Aguiar - contato@gilsonaguiar.com.br
Assédio Moral

Assédio Moral

Assédio moral no ambiente de trabalho já atingiu 42% dos brasileiros. Os casos são mais comuns do que parece e costumam ter a cumplicidades das vítimas. A relatividade e a personalidade de quem atua dentro do ambiente corporativo contam para se caracterizar o assédio.

Uma reportagem no site da Exame.com fala sobre a experiência do engenheiro de alimentos Ricardo Martinez, de 47 anos, na empresa DSM. Uma carreira rompida por uma mudança brusca no ambiente corporativo, marcado por agressões morais e metas inatingíveis.

As condições que estimulam o assédio são muitas, mas dois perfis de indivíduos no meio corporativo estimulam mais este tipo de prática. Os inseguros e os temerosos. A insegurança, na condição de agredidos e agressores, é mais comuns. Quando são chefes, costumam agredir quando se sentem ameaçados. Já na condição de comandados, se mostram frágeis e temem perder o emprego, por isso aceitam a agressão.

Os temerosos agridem antes que sejam agredidos. Ao perceberem que alguém os ameaça dentro do meio corporativo, eles agridem.

Há formas de conviver em um ambiente de trabalho se protegendo de condições de assédio. Uma delas é conhecer o perfil de quem trabalha com você, principalmente seus chefes. Tentar evitar conflitos antecipando ações ou evitando. Vamos dizer que certas brigas são desnecessárias.

Porém, se a agressão ocorrer, coloque limites nos primeiros acontecimentos, caso não o faça, é como uma bola de neve, pode sair do controle e ficar pior com o tempo. 

 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS