Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Escola pública encolhe

 

A redução do número de alunos em escolas públicas no Paraná, municipais e estaduais, foi de 0,55%. Os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Eles mostram, também, que entre 2014 e 2019 a queda de matrículas foi de 2,51%. O que estaria ocorrendo?

Por um lado temos que considerar que há um crescimento das matrículas nas escolas privadas. Demonstrando uma tendência dos pais de matricular o filho na rede particular conforme a renda da família melhora. Contudo, esta não é a única explicação.

Existe uma redução do número de natalidades. Estamos ficando mais velhos e o percentual de crianças e adolescentes tende a diminuir no Paraná. Isto acaba por refletir na escola, nas matrículas. Se hoje temos em algumas cidades o problemas de creches públicas para atender a população de baixa renda, nas redes particulares o número deste tipo de atendimento tende a cair.

As regiões mais ricas do país estão em uma tendência de queda no número de nascidos. Para se ter uma ideia, em 2016, a taxa de nascimento era de 1,7 por mulheres. Lembrando que o Brasil se equipara a países ricos, nos Estados Unidos, no mesmo ano, a taxa é de 1,8. Na China, um emergente, é 1,62. Já, na Venezuela, país vizinho e atravessando uma profunda crise, a taxa é de 2,32.

Se fizermos uma comparação por regiões, o Sul apresenta uma taxa de 1,7 por mulher, a mesma do índice nacional, a mesma da Região Sul. Enquanto isso, no Norte do Brasil a taxa é de 2,12, Nordeste 1,96 por mulher. Não é difícil notar que as regiões com melhor renda e melhor instrução tendem a redução da taxa de natalidade. Sentido inverso para as regiões mais pobres. Estes dados são de 2015.

Esta mesma tendência ocorre nas regiões urbanas, nas famílias com mais renda e instrução. Levando a consideração de que as matrículas em escolas públicas estão direcionadas a população mais carente. Aqueles com melhor renda tendem a colocar os filhos em escolas privadas. Ampliando ainda mais o fosso entre os que têm melhor oportunidades e os que não tem.

A educação é um reflexo da vida social ou uma resposta, mas não isolada. A tendência de queda de matrículas nas escolas públicas preocupa. Por um lado, acaba por reduzir matrículas entre os que menos precisam. Porém, está longe de atender as necessidades e gerar oportunidades aos que mais necessitam da educação.

Versão em vídeo e áudio:

Comentários

  1. Magda disse:

    Boa tarde
    Infelizmente o nosso governo é ima lastima na região norte devido a educação..

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *