Jornalista » Comentário

Sociedade se fundamenta no consumo do superficial e no seu descarte prematuro. Países com maior renda descartam mais. O sentido da vida é a curta existência dos objetos.
As críticas ao governo foram variadas. Uns protestavam contra a corrupção, outros contra a presidente, alguns queriam o impeachment de Dilma e outros, os alucinados da hora, uma intervenção militar. Estas tendências mostram que estar descontente é uma coisa, ver o futuro da mesma forma é outra.
Quanto aos bichos que foram soltos, as principais vítimas do ato de violência, eles já foram adotados e receberam tratamento veterinário adequado. O problema são os ratos que continuam soltos.
A própria iniciativa do Projeto foi um erro estratégico. A discussão deveria ter partido de espaços de discussão com a população e não como uma tentativa de mudar o número de parlamentares através de uma decisão exclusiva dos vereadores em sessões no Legislativo.
A normatização da terceirização como está sendo proposta no Congresso Nacional pode ser uma solução. Ela não vai livrar as empresas da responsabilidade trabalhista, por exemplo. A empresa que contrata o serviço de outra, terceiriza, é subsidiária nas indenizações trabalhistas.
O tema é polêmico, não há dúvida. Contudo, é tratado como simplicidade ou imediatismo por parte da maioria das pessoas. Medidas normativas não significam solução, elas não têm o poder de mudar as relações sociais de forma eficiente como a ingenuidade da maioria das pessoas acredita.
O desejo de ser funcionário público está em grande parte dos brasileiros com formação. Estudantes universitários já ingressam em “cursos para concursos”. A procura da estabilidade e do salário médio melhor que o do mercado estimula os candidatos.
O projeto para o aumento do número de vereadores ainda tem uma longa tramitação. Ele será lido na próxima sessão, será publicado no Diário Oficial, depois para a Comissão de Constituição e Justiça e, finalmente, para 1a e 2a votação na Câmara Municipal.
A melhor notícia é o Masteplan, o planejamento que envolve a Região Metropolitana Maringá (RMM), principalmente as cidades conurbadas. Integrar o plano de crescimento e garantir a expansão da estruturas básicas das cidades ligadas entre si, fazendo parte da mesma massa urbana.
A tradição de culpar o autoritarismo dos pais pelas nossas frustrações. O valor da liberdade e da condição dada ao filho como um declaração de amor está diretamente ligada ao descaso. Os pais de hoje foram filhos, e muitos aprenderam, de forma distorcida, que a convivência está associada a liberar, deixar solto, em vez de ensinar a governar a liberdade.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS