A presidente afastada, Dilma Rousseff, leu carta ao povo brasileiro e ao Senado. Nela reconhece seus erros na conduta do governo, diz ter aprendido neste período afastada, convivendo com o povo, a aceitar de forma humildo as críticas duras.
Em um ambiente de combate a corrupção, de defesa do impeachment ou na busca de manter a presidente Dilma na presidência da república, o país vive um ambiente democrático. Exatamente neste meio há as convenções partidárias lançando os candidatos para as eleições municipais.
Há uma elação direta entre empreender e ambiente de crise, o que é preocupante. Pessoas que ficam desempregadas buscam em uma empresa própria uma saída para superar o momento de crise. Parte considerável sem planejamento adequado. Este ambiente gera incerteza e pode piorar a condição de quem quer sobreviver economicamente.
Violência se combate com violência? A discussão é séria, mas não é levada a sério. Temos que ter uma política de inclusão social e voltada a ações de saneamento, educação, geração de renda. Não adianta a repressão sem ação consciente.
Movidos pela fé justificamos nossos atos. Porém, a racionalidade deve nos mover mais que a crença nas forças sobrenaturais. A religião que deve ser uma escolha particular se impõe hoje, mais pela pobreza humana que pela eficiência de resolver conflitos.
Os deputados, tanto federais como estaduais, estariam ou estão, ninguém pode afirmar com certeza, em recesso. Exatamente em um momento tenso. Uma crise instalada com pauta cheia nos poderes legislativos do Estado e da União.
A grande questão para entender a vocação a homem público está na vontade popular que o elege. No modelo que o eleitor tem como orientação para escolher seu voto.
No Brasil há um vício ruim de considerar que a necessidade de um determinado mercado não deve ser atendida, deve ser especulado. . A lógica de ganhar muito com pouco, ou seja, especular.
Diante da crise política que estamos vivendo, descobrir o tamanho da corrupção e os envolvidos será uma mudança necessária. Um passo para maturidade.
Quanto vale um homem público? Um estudo da ONU, através da União Parlamentar, os deputados brasileiros são o segundo mais caros do mundo. Em tempos de crise é preciso pensar se não é preciso rever estes gastos.
O destino dos dois líderes deve ser distinto. Enquanto Cunha tem uma grande chance de acabar nas “páginas policiais” da Operação Lava-Jato e ser preso. Se perder o foro privilegiado, pode ter que responder a inquéritos.
Quanto aos que defendem eleições imediatas, para escolher um novo presidente, se esquecem de que é necessária uma troca mais ampla. Uma eleição que envolva a escolha de deputados e senadores.
Estamos preocupados com o processo de impeachment da presidente e defendemos as mudanças necessárias para que o país caminhe rumo ao desenvolvimento. Então temos que nos preocupar com a mesma proporção com os atos da Anatel.
O pronunciamento da presidente foi um dos melhores que ela já fez. Um dos mais sinceros. Em alguns momentos, o despejo de sentimento quase se traduziu em choro. Com a voz, abarcada por vezes, ela esteve a ponto de deixar cair dos olhos a verdade da emoção.
Mas quem foi derrotado ontem? Ainda é cedo para se afirmar qual será o destino do país diante do desencadeamento do processo de impeachment no Senado. O afastamento de Rousseff por 180 dias é dado como certeza. Porém, os próximos passos, dias, serão decisivos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS