Governos mostram ineficiência quando vivem camuflando crises para ter acesso ao poder e usam da medidas impopulares para enfrentar a denúncia de suas mentiras.
O meio de transporte virou um produto associado ao culto da personalidade, ao destaque, status, poder. As frases nas propagandas publicitárias tiraram a função como argumento e instigaram a “autoestima” como lógica para a compra do automóvel ou motocicleta.
Professor saiu de um valor de referência para ser um professor de pouco mérito. Não se cobiça ser metre. Curso de licenciatura atraem pouco interesse.
Nas propagandas de produtos nos meios de comunicação o parcelamento ainda é o melhor apelo para as vendas.
Pode parecer óbvio, mas não é. A escolha da convivência que nos faz feliz é uma ação difícil e ousada, em muitos casos. O exemplo emblemático é a família, ela não foi fruto da escolha, mas manter seus vínculos é algo que temos que construir através, também, do ato de escolher.
Em meio a esta incerteza está a vida dos brasileiros. Em um ano delicado, em meio a uma recessão que se quer chamar de desaceleração, o país pode viver ao sabor de interesses torpes pelo poder.
Não acredito que há rancores. O que há é construção constante de uma vida inteira. Chico Xavier afirma que “... não podemos mudar o começo da história (da nossa vida), mas podemos mudar o final dela”. Acredito nisso.
O cartão ou o dinheiro é a parte menor de uma cidade que renovou um contrato com a empresa de transporte coletivo fundado em uma série de estudos para incentivar o uso dos ônibus e não houve avanço neste sentido, de forma definitiva, até agora.
A conquista da liberdade nos é cara. Foi marcada por lutas constantes, perdas de vidas e a conquista do direito de muitas outras não serem exterminadas.
A pesquisa da Cepal aponta que o Brasil é o país com maior desigualdade econômica no continente.
Uma pesquisa feita pelo Banco Central mostra que os empréstimos sociais caíram e que o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) não tem cumprido sua função.
Quando a vida passava, o objeto ficava. As heranças dos bens de uso eram comuns. A penteadeira, a cristaleira, a cama, o armário, os talheres, a máquina de escrever... Objetos que permaneciam com um registro de quem deu sentido e vida a eles. Hoje, na inversão dos sentidos são os objetos que dão vida ao ser humano e lhe educa para uma função.
O que leva a imigração, e as mudanças que gera, são fatores nem sempre harmônicos. Por sinal, se há algo que não representa harmonia é a imigração. Os que partem na busca de uma vida melhor, não se movimentam por vontade própria, em sua maioria são “empurrados” por uma mão invisível.
Bill e Melinda Gates são hoje uma referência na política de responsabilidade social de empresas, marcas e celebridades. Eles consideram que o acesso a serviços e produtos com tecnologia eficiente gera um ambiente qualitativo.
Agora, se comprovando o problema de abastecimento de energia, o clima econômico fica mais tenso. A perspectiva de crescimento do PIB para 2015, com expectativa de crescimento de 1,5% pode ser revisto.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS